30.11.13

All That Matters 36, Medo ♥

8


"Quando a vida lhe oferece um sonho muito além de todas as suas expectativas, é irracional se lamentar quando isso chega ao fim." - Twilight, Stephenie Meyer



                          Você POV

David desceu as escadas rapidamente e me colocou no chão, pegando firmemente meus dois braços, machucando. Eu tentei sair de seu aperto de ferro, mas ele era muito forte.

Eu: VOCÊ É LOUCO, LOUCO!
David: Cala a boca vadia, você vem comigo.
Eu: O que você vai fazer com o Justin?
David: Está mais preocupada com ele do que com você?
Eu:Claro, me solta! - insisti, lutando em vão.
David: Brandon, Paul!
Eu:ME SOLTA SEU VAGABUNDO!
David: Se você não ficar comigo não vai ficar com mais ninguém.
Eu:VOCÊ É LOUCO! -Ele me soltou, mas outros braços fortes me pegaram por trás me giraram, fazendo me arquejar de dor-
Eu:ME SOLTA!
xx: Acho melhor a princesa ficar quieta.
David: Ela não vai -interrompeu David- Dope-a.
xx: Sim, senhor - obedeceu o homem, tirando uma pequena seringa do seu bolso. 

Ele pegou meu punho e eu não lutei contra ele, apavorada demais para expressar qualquer sentimento.
A agulha picou minha pele. Eu lutei novamente, minhas unhas tentando arranhar seus braços.
Mas eu sabia que nada daquilo adiantaria. Fui tomada pelo pânico, e a única coisa que eu pensava era Justin.
Mas meus pensamentos foram interrompidos quando a inconsciência me puxou, fazendo-me desmaiar.


                          Justin POV

Droga, droga, droga! Eu fui burro, tudo aquilo era culpa minha. Eu dispensei os seguranças uma vez que ia viajar, contratando apenas alguns para tomarem conta da casa. Mas antes que eu chegasse em casa, o filho da puta do Moore apareceu no aeroporto com um monte de homens e me dopou. Quando acordei já estava aqui, um quarto escuro e trancado. Eles me amarraram numa cadeira, mas eu não me importava, eu não estava preocupado comigo mesmo. Eu só pensava em Sn. Ele disse que ia buscar ela. Eles não podiam fazer nada com ela. Eu não me perdoaria nunca. Eu estava com medo, medo por ela. Eu sabia que ia morrer, e podia aceitar isso. Mas eu nunca aceitaria que fizessem mal à ela. Enquanto eu pensava comigo mesmo, a porta foi aberta rudemente. Um dos homens entrou, carregando Sn no colo. Ela estava adormecida. Moore entrou logo em seguida, um sorriso cínico nos lábios.

Eu: O QUE VOCÊS FIZERAM COM ELA?
David: Ela vai ficar bem, uma morte assim seria fácil demais, não é?
Eu: Me mate se quiser, mas não faça nada com ela.
David: Que bonitinho! Infelizmente eu vou ter que matar vocês dois. E a sua vai ser bem pior.
Eu: Eu não me importo! Mas com ela você não vai fazer nada.
David: Cala a boca!
Eu: Como se você mandasse em mim.

Ele tirou uma arma da cintura e a apontou para minha cabeça, mas eu sabia que era só um blefe. Não seria tão fácil. Mas, mesmo assim, eu sentia as palmas de minhas mãos suarem frio, e meu estômago revirou com a possibilidade dele atirar.

Eu: Vá em frente, ATIRE! Pelo menos para isso você tem que ser homem, não é?

Ele largou a arma e me deu um soco. Eu sentia algo escorrer sobre minha face, e em seguida senti gosto de sangue. Cerrei os lábios.

David: Eu já disse para calar a boca - disse ele com raiva-
Eu: Como se você mandasse em mim - repeti.

Ele me encarou enquanto enquanto aqueles homens amarravam Sn numa cadeira. Eu só queria levantar e dar uns socos nele.

Eu: Ei! Não machuquem ela!
David: Acho melhor você ficar quieta, playboizinho. -Eu ri sarcasticamente-
Eu: Quem é você para achar alguma coisa? Vocês podem até me matar, mas não pensem que vão escapar fácil dessa. Querido eu sou o Justin Bieber, e vão até o fim do mundo para descobrir quem acabou com a minha vida.

O homem arregalou os olhos para o meu lado, e em seguida olhou para o Moore.

xx: Ele tem razão - sussurrou apavorado-
David: Cala a boca Brandon. Fica aí vigiando, eu já volto. -Ele saiu e bateu a porta. O homem chamado Brandon se sentou em uma cadeira e ficou me encarando.-

Eu: Que foi? Perdeu o pau aqui? - desafiei.
Brandon: Quanto você acha que eu posso ficar encrencado com isso? -eu ri-
Eu: Muito, muito mesmo.
Brandon: Porque ele está fazendo isso?
Eu: Você não sabe?
Brandon: não. Ele só me contratou.
Eu: Me dê uma boa razão para eu te contar.
Brandon: Estou curioso.
Eu: Isso não é uma boa razão.
Brandon: Mas continuo curioso. -Suspirei-
Eu: Ele namorava com ela - fiz um gesto com o rosto em direção de Sn uma vez que não podia apontar pois estava com as mãos amarradas - mas ele era muito estúpido e eles acabaram terminando. Eu era melhor amigo dela e acabei namorando com ela. Ele quer se vingar.
Brandon: Hmmm. Minha filha é doida por você. Ela chora toda vez que te vê na televisão.
Eu: Como se sente destruindo o sonho da sua filha?- Ele pareceu pensar por um segundo-
Brandon: Eu não sei.. -Ele cruzou os dedos- Sinto que não estou fazendo a coisa certa. A garota.. ela parecia apavorada. -Tremi ao pensar nisso-
Eu: Ela é a garota mais incrível que eu já conheci na minha vida.
Brandon: Ela é bonita.
Eu: Mas é minha - rosnei.
Brandon: Ei, calma rapaz, eu sei.

Houve um bocejo ao meu lado. Sn acordava.

----------------- Continua ----------------------

8 comentários: